terça-feira, 12 de maio de 2009

íntimo

.

coroa-me, ó doce miséria
sou o que luta para secar o deserto
ainda que seja uma quimera
anseio ter a Distância por perto

eu não te amo, nunca te amei
não minto!
mas se sou sincero, já não sei

o fim, quando vim
eu sabia,
seria vazio, ruim

mesmo assim insisti
iludi, chorei
em silêncio
a seco

você me pediu a única coisa
sobre a qual não tenho poder
e hoje me tirou o erro de pandora
hoje... é minha vez de morrer