sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Óptica

Humor ácido por trás de seu gêmeo aquoso
Tudo o que nunca foi vem de de novo
Existem encaixes entre ventrículos?
E porque todos os poemas me parecem ridículos?
Por ousarem conspirar com meus olhos contra a verdade
Uma faísca de utopia desmorona a realidade

O mundo não é tão oficial quanto parece
Nem sempre o pior ou o melhor acontecem
Uma entre tantos outros sonhos perdidos
Mas não adianta, já me roubaram os sentidos
Estou cego, e adoro estar assim
Se não por você, pelo menos por mim.

2 comentários:

Luly disse...

Ah, esse meu amigo Caio, viu...

mata a pau! hauahuahaua

blog perfo! (nossa, q comentário emo haha)

bjs

Giovanna disse...

Sim, lógico que lembro! Add meu blog ai! Não me add no orkut, giovannassef@gmail.com, beijos e quero ver um ensaio da banda do seu amigo.