sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Óptica

Humor ácido por trás de seu gêmeo aquoso
Tudo o que nunca foi vem de de novo
Existem encaixes entre ventrículos?
E porque todos os poemas me parecem ridículos?
Por ousarem conspirar com meus olhos contra a verdade
Uma faísca de utopia desmorona a realidade

O mundo não é tão oficial quanto parece
Nem sempre o pior ou o melhor acontecem
Uma entre tantos outros sonhos perdidos
Mas não adianta, já me roubaram os sentidos
Estou cego, e adoro estar assim
Se não por você, pelo menos por mim.

Roses and Gentlemen

Gente, o blog triplo já está no ar. Ou na rede. Whatever...
O Roses and Gentlemen é um blog feito por três pessoas: Caio (sim, eu...), Louise e Pedro.
Todos estão convidados a acompanhar as crônicas trilaterais (isso existe?), o link está abaixo e na barra lateral. Abraços.


segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Capricórnio

Não passa de mais uma manhã. Não um “uma” artigo, um “uma” numeral mesmo, apenas outra a ser contada e não-vivida. O Sol acorda frio e mal esquenta meu sangue, como um calango sem vontade eu acordo, embora tenha levantado da cama há tempos. O que esperar do dia? Meus avós queriam viver num musical da Broadway, meus pais ansiavam um filme, eu no máximo almejo a vida num videoclipe, rápido, sem sentido ou sentimento.
Não há variação no roteiro: O caminho até o ponto, o ônibus, a faculdade, a aula, os amigos, o almoço, o retorno, a aula, qualquer coisa que prenda minha atenção, qualquer coisa que faça despertar minha atenção, qualquer coisa que faça eu me atentar, qualquer coisa que me faça acordar.
Não é uma manhã comum, percebo isso no momento exato em que a vejo. Quem é ela, você me pergunta? Nem eu sei. Ainda.
Não tenho conhecimento se há uma teoria pra isso. Como a gente fica idiota quando vê alguém por quem temos interesse... Qualquer desculpa é válida e a timidez procede de duas maneiras, ou torna-se um muro separatista intransponível ou é completamente abolida, levando-nos a fazer coisas que normalmente seriam consideradas idiotas. De qualquer modo, você já está ferrado.
-Cara, quem é ela?
-Ah, ela estuda comigo, o nome dela é Linda.
Não, leitor. Não é clichê ou falta de criatividade, é apenas um tabelião visionário. Um verdadeiro profeta burocrático que anteviu o futuro ao registrar aquela maravilha com o adjetivo que mais lhe caberia.
-Tem namorado?
-Não, tá solteira. Ficou interessado, é?
-Ah, ela é bonitinha...
-Sei...
Não vou descrevê-la, eu estaria sendo parcial já que tenho interesse nela. E qualquer descrição por alguém que está apaixonado é um lixo. Eu não vejo “ela”, eu vejo o que me atrai nela. Fique livre para caracterizá-la como bem entender.
-Ela vai na festa hoje à noite.
-É à.
-É o quê?
-Ela vai à festa hoje. Você falou errado.
-Tá. Mas ela vai. Aproveita e chega nela.
-Quem sabe...
Não demora a anoitecer. Arrumo-me com um pouco mais de atenção, hoje eu tenho uma meta, e metas movem o mundo. A festa vai acontecer em um lugar genérico, um abrigo qualquer para hormônios e mentes em fúria. Lá está ela! Seguro a ansiedade, é mais cool assim. Meu amigo (aquele do “na festa”) me apresenta.
-Linda! Já conhece meu amigo, CH?
Não, isso não é programa de proteção ao narrador, não é frescura e eu não sou a Carolina Herrera. É só meu apelido. Uma amostra de como a vida real pode ser sem-graça...
-Oi, tudo bem? Eu sou a Linda.
-Oi. -beijinhos no rosto- Então, de onde você é?
-Sou daqui mesmo. E você?
Não vou perder seu tempo, leitor. O que ocorre é uma conversa padrão, duas pessoas que se conhecem numa festa, você deve saber como é... Ninguém lê um romance pra ver situações cotidianas, o que se espera é um clímax, um momento que fique guardado na memória e que remeta àquela obra assim que mencionado. Então vamos ao que realmente interessa.
-CH, acabou minha cerveja...
-Depois a gente pega mais.
-Quer dançar?
-Claro.
Não há clímax aqui. Nossas palavras foram essas, mas o que realmente pode ser considerado o “gatilho” foram os olhos. É meu papel como narrador contar que o beijo não se fez por palavras cuidadosamente encaixadas ou por perguntas desnecessárias. Mais do que isso, nós dois sabíamos que ia terminar assim (três com você, leitor), meu rosto falava mais do que minha boca. Um golpe de espada é silencioso, e pode causar mais danos do que uma briga. O clímax existe, mas realmente não está aqui. Está em mim, está nela, está em nós. Um beijo.
Sim, leitor. Eu vivo.

sábado, 20 de setembro de 2008

Alguns clipes de algumas cantoras

Regina Spektor - Samson


Feist - I Feel It All


Katy Perry - Simple

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Queria um All-Star vermelho...

Ciao! Come stai?
Ai ai...acabei de terminar minha prova de italiano. ^ ^
Então, vamos ao blog...
Nem vou falar (escrever) muito hoje, não consigo ver meu blog nos computadores da faculdade,
aparentemente o endereço do menteILOGIKA tem "limite de frase ponderada excedido". Então só dá pra postar mesmo. Enfim, espero que a Louise e o Pedro gostem dos botões que fiz pra linká-los (neologismo? nããão...).

O post, sim, já vou chegar lá. Como está explícito no título, eu queria um All-Star vermelho. =D
Só isso. =P

Outro dia vi um roxo e um vermelho. Não tinha meu número do vermelho e eu não tinha money pra comprar o roxo. Resumindo: tudo na mesma merda. XD
Será que blogar minhas insatisfações capitalistas vai fazer de mim uma pessoa melhor? Nah, provavelmente não, mas queria postar uma foto de um All-Star vermelho. Um dia compro o danado.É isso por hoje. Ô postzinho mais inútil... (ahã! neologismo no diminutivo!). Grazie per suo tempo. Ciao!

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Atrizes, cantoras e um escritor subversivo

Hoje temos um post multimídia, com comentários sobre cinema, música e um pouco de literatura.
Primeiramente agradeço à Louise pelo apoio ao blog. ^ ^ Thanks my friend. Atualizações no blog: Novo design (tá, nem tão novo assim, só umas imagens aqui e ali) e links para os blogs da Louise e do Pedro. Visitem. =D

Ontem assisti Agente 86 (Get Smart), e fiquei pensando... Oh my fucking God, eu tenho que postar alguma coisa sobre o filme só pra colocar uma foto da Anne Hathaway. XD
Here it goes:Como uma coisa leva à outra, lembrei dela no filme O Diabo veste Prada (The Devil Wears Prada):
Então lembrei que nesse filme (Devil..) vi pela primeira vez a atriz Emily Blunt:
Então me veio à cabeça um filme que assisti algumas semanas atrás, Eu, Meu Irmão e Nossa Namorada (Dan in Real Life), que eu adorei por sinal (eu tô emo, emo, emo... XD), enfim, na cena final desse filme (que não vou contar qual é pra ninguém falar que tem spoilers aqui) aparece a cantora Regina Spektor, que eu amo!!!!
Obs: O verbo amar conjugado no presente do indicativo da primeira pessoa do singular seguido de mais de um ponto de exclamação é um tanto quanto "soltando a franga", mas nesse caso é absolutamente aceitável, visto que a referida cantora é realmente... foda. ;D
Como o post está cheio de imagens, aqui vai mais uma, da Regina:
Então minha massinha encefálica (gostaram do diminutivo?) associou fatos e notas musicais e lembrei de uma música que ando escutando bastante, "Brandy Alexander", da cantora Feist. Nessa música o jeito dela cantar está bem parecido com o de Regina. A picture of Feist, please:Essa música, "Brandy Alexander" é muito gostosa de se ouvir e eu recomendo. Continuando com as conexões ilógikas, Brandy Alexander é uma personagem do livro "Invisible Monsters", de Chuck Palahniuk, só não sei se a música é relacionada com essa persongem mesmo, talvez seja apenas coincidência (ou sincronicidade, porque no mesmo dia que ouvi a música fiquei sabendo desse livro de Palahniuk), continuando com as fotos, esse é o Chuck:Chuck ficou conhecido depois que um livro seu foi adaptado para o cinema, Clube da Luta (Fight Club) com Brad Pitt, Edward Norton, Helena Bonham Carter e Jared Leto. Ou seja, o cara tem uma escrita bem visceral, crítica e ácida, se tiver chance, leia! Um conto dele de nome "Guts" é particularmente angustiante e merece um post futuro aqui. Terminando com as fotos, um cartaz do Clube da Luta, ótimo filme por sinal:
Estamos quase no fim desse post, o maior que já escrevi (três posts escritos, oohhhh!!!! XD), e como rodei, rodei e não cheguei em nenhum lugar, ficam essas dica pra vocês, atrizes lindas, boas cantoras e um escritor inquietante.
Ai, ai.... Amanhã tenho prova de italiano, mas o blog merece uma atençãozinha. ^ ^
Até outro post, folks.

Correção: Quem aparece na cena final de Dan in Real Life não é a Regina Spektor, ela nem canta nessa música... XD
Maaas ela canta em outra música junto com o Sondre Lerche que também está no filme. Aquela da cena do boliche. ;D
Foi um meio acerto, vai... =P


terça-feira, 16 de setembro de 2008

Três Vezes Amor

Ontem assisti esse filme, Três Vezes Amor (Definitely, Maybe). Não vou colocar o nome de todos os atores nem postar uma crítica aqui (se bem que uma opinião é de certa forma uma crítica), enfim, deixando esse pensamento ilógico de lado, falemos sobre o filme.
Adorei... ^^
Tá legal, estou meio "emo" nesses dias mas uma comédia romântica sempre vai bem. A Rachel Weisz está linda no filme, e eu gostei dessa tal de Isla Fisher, num papel que não necessitava de uma grande atuação é verdade, mas ela segurou bem, e ficou bonitinha também. =D
O protagonista (Ryan Reynolds) está hum.... convincente, poderia ser melhor. =P
Ah, curiosidade, na vida real Ryan é noivo da Scarlett Johansson, podem chorar... Scarlett, ah Scarlett, maldito sortudo. XD
Então fica a dica, pra quem quiser assistir é uma boa pedida. Divertido, leve e romântico. ^^


Will Hayes: I had two serious girlfriends… and then some other smattering of other women.
Maya Hayes: What’s the boy word for ’slut’?
Will Hayes: They still haven’t come up with one yet.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Loirinha

Eu que dou sempre o pior de mim
Sempre termino assim
Sua alma é tão cool quanto a minha
Pena que eu a esconda de você, loirinha

Dane-se a métrica entra as sílabas
Todas são sentidas mais que medidas
Quero escutar vaias por ser sincero
Por te cantar e cantar que te quero

Minha arma é minha caneta
E todo rabisco por você vale a pena
Oceanos atrás de vidros
Sussurrando metáforas em seus ouvidos

Mais paradoxal que eu, não conheço
Rostinho mais lindo que o seu não desejo
Porque sei que ele não existe
Em meio a essa selva urbana e nada triste

Se depois de ler essas psicodelias diárias
Você no fundo achá-las hilárias
Sorria sem piedade
Afinal, todas as mentiras são verdade.

Primeiro post

Olá a quem quer que esteja lendo isso. Meu nome é Caio A. T. Bonatti, 18 anos, sou estudante do curso de Bacharelado em Letras com Habilitação de Tradutor (eu sei, o nome é grande...) na UNESP de São José do Rio Preto-SP. Meu amigo Pedro criou um blog para divulgar as poesias dele e me fez pensar "Talvez ter um blog seja uma coisa legal, não como um diário ou algo do tipo, mas como um jornal, um meio de comunicação entre mim e alguém que goste do que escrevo ou vejo."
OK, demorei um pouco pra de fato montar o dito blog, mas cá estou eu, escrevendo o Primeiro post do menteILOGIKA, um blog narcisista e voltado pra divulgação das minhas idéias e coisa e tal, não é um blog salvador da pátria ou complexo, é só um blog pra mim. ^^
Então... vamos ao que realmente interessa, postagens sérias. O próximo texto é uma obra minha de algum tempo atrás (provavelmente mais de um ano atrás), enfim, comentem se gostaram, odiaram... Meu trabalho aqui é postar e o de quem ler (eu peço) criticar, caso você sinta algo ao ler qualquer coisa aqui postada, por favor compartilhe, é o que eu estou fazendo.
Bem, obrigado por ler esse início de blog. E longa vida ao menteILOGIKA.